NOSSAS BANDEIRAS

Principais bandeiras:

 

  • o intenso cuidado e fiscalização das áreas de proteção ambiental urbanas;

 

Vista-do-Morro-do-Queimado-Floresta-da-Tijuca-Ri

Floresta da Tijuca, Rio de Janeiro/RJ

 

  • a preservação e promoção da biodiversidade e dos ecossistemas no ambiente urbano, adaptando-o como habitat às mais diversas espécies da fauna e da flora do seu bioma;

 

 Cheonggyecheon-20Rio Cheonggyecheon, Seul, Coreia do Sul

 

  • a promoção da integração da população das cidades aos ecossistemas no ambiente urbano, de maneira que melhore sua qualidade de vida e sua relação com a biodiversidade local e entre os próprios habitantes da cidade;

 

MilleniumPark completa

Millenium Park,Chicago, EUA: sobre uma grande avenida e edifícios-garagens ergueu-se um dos maiores telhados verdes do mundo, usado pelas pessoas para curtirem momentos de descontração ao ar livre em um ambiente agradável aos olhos e à saúde de todos.

  • a proteção e o restabelecimento dos ecossistemas naturais valiosos a um nível paisagístico, de modo que possam continuar a oferecer os seus serviços à biodiversidade local e à população da cidade;

 

river-bank-paths2 - Londres

 Parque Olímpico de Londres na revitalizada região de East End

 

  • o combate aos fatores que levam à formação de enchentes no ambiente urbano;

 

jardins-de-chuva

Jardins de chuva: muito melhores que os bueiros, esses canteiros sublevados e com boa capacidade de retenção e infiltração da água pluvial ajudam a limpá-la e devolvê-la ao lençol freático, reabastecendo-o e reduzindo as possibilidades de enchentes. 

 

  • a redução da evasão de esgoto cloacal e pluvial para a rede pública, e a priorização do tratamento da água na própria edificação em que fora utilizada, preferencialmente por métodos naturais, biológicos;

 

  • a diminuição das áreas impermeáveis e de difícil e ou inadequada permeabilidade dos solos e de coberturas de edificações;

 

Ecopavimento com brita em escola no RJ Pavimento permeável: especialmente para áreas de estacionamento, uma grande tecnologia para manter a permeabilidade do solo

  • a melhor qualidade do ar no ambiente urbano, de modo a tornar mais saudável a vida da população nas cidades, bem como de sua fauna e flora;

 

  • a atenuação do efeito ilha de calor urbano e das emissões de gases de efeito estufa à atmosfera;

 

jardim vertical & telhado verde editado

 Paredes e tetos verdes: melhoram a qualidade do ar nas cidades, atenuam o efeito ilha de calor, diminuem a poluição sonora, reduzem a demanda de energia e captam carbono, combatendo o aquecimento global, aumentando a área vegetada urbana e promovendo a biodiversidade.

  • o aumento da arborização e das áreas verdes permeáveis no ambiente urbano;

 

Curitiba - Parque Barigui

Parque Barigui, em Curitiba/PR: cidade é uma das mais destacadas do país em áreas de parques por pessoa.

  • a difusão da prática e de técnicas de agricultura urbana, visando ao aumento das áreas verdes no ambiente urbano, bem como à redução do consumo de alimentos expostos a agrotóxicos e à inclusão social de agricultores no ambiente urbano;

 

urban-agriculture-1

Horta urbana em telhado verde

  • a defesa e promoção da apicultura urbana como fonte de autossuficiência alimentar e de renda familiar, bem como de proteção das espécies de abelha, considerando sua importância ecossistêmica, inclusive para o ambiente urbano;

 

apicultura telhado

 Apicultura em pátio de casa, na cidade

  • maior eficiência energética das edificações e dos processos produtivos, por meio da aplicação de técnicas que reduzam a demanda por eletricidade,  privilegiando-se, ao mesmo tempo, a redução do efeito ilha de calor urbano e das emissões de gases de efeito estufa, a melhora da qualidade do ar e da água, bem como a propagação das áreas verdes urbanas e da biodiversidade, também buscando integrar a população das cidades aos ecossistemas no ambiente urbano;

 

telhado verde energia solar

Edificações com telhado verde integrado com paineis de energia fotovoltaica

  • a gradual autossuficiência em relação à energia produzida e oferecida pela rede pública elétrica, com a consequente redução do seu consumo por meio da utilização de fontes de energia renováveis no próprio local da edificação;

 

  • o enfrentamento ante a disposição irregular de resíduos sólidos no ambiente urbano com rigidez, ainda que realizada particularmente por um indivíduo, em especial nas áreas verdes urbanas;

 

  • a propagação do uso da bicicleta como um meio de transporte cotidiano, bem como de alternativas de conexão social que minimizem a necessidade de  deslocamento físico dependente de combustíveis fósseis, e a consequente diminuição do tráfego de automóveis e similares no ambiente urbano, de modo a aumentar a qualidade de vida da população e reduzir a emissão de gases de efeito estufa;

 

ciclovia permeável

Ciclovia feita com pavimento permeável e cercada por jardins de chuva 

  • a conscientização da população acerca da importância da difusão de práticas e técnicas de infraestrutura verde urbana para o bem-estar das cidades e a perspectiva de um futuro mais saudável e adequado à vida humana e da fauna e da flora existentes no ambiente urbano;

 

  • refutar veementemente práticas e técnicas ditas “sustentáveis”, mas que, por equívoco ou má-fé, tratam-se de engodos biocidas que não beneficiam de maneira integrada a qualidade de vida humana, do ar, da água, do solo e da biodiversidade, bem como o combate às mudanças climáticas.

 

telhado branco - engodo sustentável

Telhado branco ou frio: exemplo típico de “engodo sustentável”, pois, ocultado pelo argumento da eficiência energética da edificação, não promove a integração social, a biodiversidade, o aumento das áreas verdes, os processos naturais, a captação e retenção da água da chuva, entre outras questões, nem combate o aquecimento global, pois não reduz as ilhas de calor urbano e tampouco capta gases de efeito estufa produzidos nas cidades, uma vez que o calor que reflete aquece as partículas pretas e cinzas de fuligem suspensas no ar.